Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livro de Reservas

Bem vindos! Sou apenas uma Turista cheia de bagagem, em viagem pela Vida, registando Reservas aqui e ali num Hotel chamado mundo.

Livro de Reservas

04.Nov.18

Planeamento de Refeições e Rotina de Alimentação enquanto Estilo de Vida

Mi

As semanas continuam intensivas em termos de organização e conciliação dos empregos com as tarefas da casa, mudanças, limpezas pré-habitacionais e mesmo um tempinho para me sentar no sofá e pintar as unhas :P Tranquiliza-me ter a possibilidade de programar a maior parte das tarefas e conseguir cumpri-las, especialmente as de maior prioridade. Em casa, a entreajuda entre mim e o meu Namorado tem sido fulcral, aliás, acredito que atualmente (e felizmente) isso aconteça em grande parte dos lares portugueses: é um trabalho de equipa, sem dúvida, em que cada um se encarrega das tarefas que consegue desempenhar melhor.

As prioridades, neste momento, são, definitivamente, terminar a mudança de casa: até ao fim do mês, os "tarecos" hão-de estar todos na casa nova (ieeeeee!!!). Sobre o processo todo de mudança, conciliado com quatros empregos (sim, entretanto acumulei uma nova função, novamente em Auditorias de Qualidade), falarei num post futuro, apenas para fazer um registo da minha experiência e, eventualmente, ajudar alguém com rotinas igualmente difíceis.

Hoje, no seguimento deste planeamento e organização, gostaria de escrever um pouco sobre a facilidade que nos tem trazido (a mim e ao meu Namorado) a planeamento de refeições. Aqui, no Blog, já falei um pouco sobre a nossa rotina de exercício físico e como atualmente as nossas refeições são pensadas de acordo com este estilo de vida. Somos da opinião que o investimento (de tempo, especialmente) que fazemos no ginásio deve ser acompanhado por uma alimentação correta, uma vez que temos objetivos específicos a concretizar. Com este princípio, as nossas refeições têm como base a ingestão adequada de proteínas e hidratos de carbono (dos bons :) ). No meu caso, as minhas refeições estão assim divididas, compreendendo os seguintes alimentos que vou ingerindo de forma variada, nos diferentes dias da semana (um pequeno parênteses para acrescentar que cada dia da semana tem uma refeição específica, portanto às segundas como sempre "x", às terças como sempre "y" e por aí fora. O que apresento aqui é o meu plano alimentar generalizado):

- Pequeno-almoço: claras, manteiga de amendoim, ovo, aveia, pão lean bread multicereais;

- Lanches da manhã: whey, maçã, frango/atum, alface

- Almoço: Peito de frango ou perú, arroz basmati, batata doce, legumes

- "Lanche" da tarde: pão lean bread ou de alfarroba, ovos mexidos, queijo fresco, panquecas, aveia, manteiga de amendoim

- Jantar: Peixe branco, atum, camarão, arroz basmati, batata doce, legumes

- Ceia: quejo fresco, bolachas de arroz, quark, skyr, whey

Basicamente, são estas refeições que fazemos em casa (super simples!), portanto, quando vamos às compras já estamos focados em comprar apenas os alimentos que compõem a nossa alimentação, sublinhando que a quantidade de proteina, legumes e hidratos de carbono é sempre pesada. Esta é, de facto, a grande vantagem no planeamento de refeições: sabemos sempre o que vamos consumir, optimizamos espaço de arrumação no frigorífico e congelador, e, com uma rotina de compras mais fixas conseguimos perceber facilmente as variações de preços e comparar promoções. Depois, tudo tem uma logística em cada dia para prever quando é necessário fazer almoço ou jantar a mais, de forma a que eu possa preparar as marmitas a levar para o(s) trabalho(s) (uma vez que pesamos a comida que ingerimos, a comida que fazemos "a mais", também é calculada, o que evita desperdícios).

Não quer dizer que não vamos experimentando algumas coisas diferentes, contudo, preocupamo-nos sempre em ler os rótulos e perceber quais os valores nutricionais do que consumimos. É verdade que temos disciplina na alimentação porque isso nos faz sentir bem: comendo os nutrientes certos sentimos mais energia, estamos mais predispostos a realizar treinos no ginásio com maior rentabilidade, mas acima de tudo, sentimo-nos saudáveis.

O meu processo de reeducação alimentar já começou há cerca de 2 anos e tem sido um percurso interessante, de aprendizagem e progressos; sinto que a alimentação que faço atualmente tem ainda melhores resultados no meu corpo. É possível passar de uma alimentação sem regras para algo controlado, com pouco sacrifício: é tudo uma predisposição da nossa mente. Não sou perfeita e também gosto de beliscar uns salgadinhos de vez em quando, comer pipocas ou comer bolo de aniversário, mas não faço disso rotina. Nas horas de maior tentação em que os amigos oferecem "toma um chocolatinho", ou "eu partilho as minhas batatas contigo", digo, com confiança: "eu não como chocolate" ou "eu não como batata frita". Resulta melhor do que: "eu não posso comer isto, ou aquilo". :)

 

Claro que há dias (e noites) em que, com todo o nosso cansaço, é difícil estar a cozinhar saudável quando seria mais simples pegar no telefone e encomendar um hamburguer gigante ou ir até ao shopping mais próximo, mas, resumindo, planificar refeições está intrínseco na nosa rotina, pois não desassociamos esta tarefa do nosso estilo de vida, indo, naturalmente, de encontro à simplificação de rotinas (e da vida!) que temos vindo a adoptar, gradualmente.