Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livro de Reservas

Bem vindos ao Blog de uma Técnica Superior de Turismo. Dificuldades, Histórias, Curiosidades, Horas de Desespero e de Realização.

Livro de Reservas

26.Fev.16

O recrutamento no século XXI

Mi

Lembram-se desta entrevista aqui? Pois bem, fui hoje chamada à empresa para saber que me tinham seleccionado (aparentemente, o discurso de falsidade resulta) e fiquei a saber também que as condições mudaram e agora seria para estágio profissional. Esta empresa aqui, dona de si, pretensiosa e com a mania que é boa empregadora é igual a um par de centenas que pululam por aí. E ficam com cara de choque quando temos a coragem de recusar a oferta. Eu sou uma pessoa politicamente correcta, não "bato com a porta" com má educação e, vendo a forma como as pessoa recrutadoras tratam os futuros colaboradores só porque dizem que não aceitam, acredito que muitas coisas têm de mudar. Especialmente aprenderem a lidar com a rejeição...

 

No final do ano passado aconteceu-me uma coisa semelhante com uma multinacional aqui da região. Eu candidatei-me para uma vaga como Assistente de Gerência Hoteleira e, depois de todo o processo de recrutamento, ligam-me a dizer que fui seleccionada para outra vaga, como Recepcionista de Hotel (ok...) Tive a coragem de dizer que não estava interessada e consegui perceber a estupefacção na voz de quem me ligou, do género: Como não?! Como não quer vir trabalhar para um grupo multinacional que paga o salário mínimo aos colaboradores, onde as condições são obscuras e só entra em funções "importantes" se tiver uma cunha?

 

Começa a ser demasiado óbvio o poderio que as entidades empregadoras sentem ao terem meia dúzia de currículos na mão, com ofertas precárias, utilizando o mesmo argumento de sempre: se tu não quiseres, há mais quem queira. E o valor que essa pessoa poderá ter para a empresa? Não se luta por ela, nem um bocadinho? O mundo do trabalho está uma selva, aliás, o Mundo em geral... Ir a entrevistas são oportunidades, sempre. Sobretudo de aprendizagem.  Eu já desconfio de duas coisas muito importantes que considero reflectirem muito dos valores da Empresa:

1 - Quando só falam em dinheiro;

2 - Quando todos os colegas têm de se tratar por Drs. ou Engenheiros;

 

No fundo, ando saturada disto tudo; mas lá tem que ser...

Hoje estou satisfeita por ter sido fiel às minhas próprias aspirações. Sou uma pessoa introvertida, custa-me dizer não, recusar na cara é um desafio... Contudo, rejeitar ofertas neste tempo de "crise" faz-me sentir uma péssima pessoa, sobretudo por parecer estar em contradição e por sentir que decepciono quem está à minha volta.

 

 (Este texto está em Desacordo Ortográfico)

5 comentários

Comentar post