Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livro de Reservas

Bem vindos! Sou apenas uma Turista cheia de bagagem, em viagem pela Vida, registando Reservas aqui e ali num Hotel chamado mundo.

Livro de Reservas

18.Out.18

Leveza na Vida

Mi

Não é habitual ter insónias...aliás dêem-me um cantinho confortável durante o dia e eu tiro um cochilo sem problemas. Talvez seja do turbilhão de acontecimentos: os empregos (contam-se quatro), a nova responsabilidade num deles na gestão de equipas, a minha própria gestão do tempo equilibrando o lazer, o ócio e o trabalho, a mudança... A mudança de casa! Tão ansiada e programada, finalmente começa a concretizar-se a partir deste fim de semana! A limpeza está planeada, as compras urgentes estão consideradas: é continuar a avançar. A ansiedade é muita! O nosso apartamento a ser mobiliado e planeado com muito carinho a dois. Não tem comparação com a experiência de virmos morar para a casa alugada.

Esta insónia revelou-se produtiva: adiantei planificações das aulas, espreitei ideias de organização... mas o silêncio da noite estava tão tentador que decidi dar aso à liberdade de pensamentos.

Muitas coisas a acontecer nesta fase da vida! O meu Namorado tem sido a pessoa que mantém a minha sanidade, não me deixando perder no meio de tudo isto e, felizmente, com algumas mudanças que já tinha empreendido, há coisas que vou levando com mais naturalidade e simplicidade (não sei se ter 30 anos também já nos coloca num patamar diferente de perspetivas...começo a acreditar que sim). De muitos objetivos que tenho planeados muitos deles já tenho concretizado, o que me tem permitido, realmente, viver dias mais leves e tranquilos.

Em jeito de mapa mental - ou de libertação, talvez - aqui ficam as melhores coisas que tenho feito por mim, nos últimos...meses!

 

- A limpeza das redes sociais permitiu-me, mesmo, lidar agora com conteúdo mais relevante das pessoas mais próximas:  limpeza de "amigos" (também vos acontece terem pessoas na vossa lista de "amigos" que passam por vocês na rua e fingem que não vos conhecem?), limpeza de páginas e reavaliação de conteúdos. também, os Curiosamente, essa mudança vem extravazando para os canais do Blog.

- Tenho diminuido, drasticamente, o consumo de conteúdos pouco interessantes que me possam colocar, inclusivamente, em círculos viciosos de inferiorização.

- No meu círculo "real" de pessoas tenho priorizado quem me procura sem interesses, quem, espontaneamente, me procura, se interesssa e me oferece um pouco do seu tempo. Tenho retribuído mais estes gestos.

- Libertar-me de algumas coisas tem-me feito desinteressar, cada vez mais, pela opinião dos outros. Tenho dito "não" quando é preciso, porque sempre fui de dizer "sim", mesmo contra a minha vontade.

- Tem sido fascinante adotar um estilo de vida mais simples, sem rótulos ou sacrifícios: ter essa rotina simplista e na alimentação, por exemplo, tem-me inspirado em outras coisas ("somos o que comemos" e, aparentemente, isso não se reflete apenas fisicamente). Simplificar não tem significado apenas ter menos coisas: tem sido pensar, conscientemente, no que realmente me faz falta, no que me traz valor e no que é guardado apenas por conforto. Tenho encontrado tanto equilíbrio que me viciei a ser ainda mais ponderada, intuitiva e mais consciente das minhas atitudes, mas também a compreender cada vez mais o comportamento do mundo à minha volta. E estar consciente é não fazer nada automaticamente, mesmo que seja rotina: por exemplo, tomar banho - ter consciência da água a percorrer o corpo, da espuma, da temperatura - ou mesmo respirar - concentrar-me e focar-me apenas no que respiro, nos cheiros.

- Desapegar-me, gradualmente, do que é material: não é algo radical em que abdico totalmente do que necessito para ter o mínimo de qualidade de vida ou deitar tudo fora; é entender que eu não sou aquilo que tenho ou que compro, sou, sim, as minhas atitudes, o que penso, o que realizo, o que faço por mim e pelos outros.

- Aceitar que a vida é uma constante aprendizagem e, se quisermos, um grande caminho de evolução espiritual e humana.

 

Tenho consciência que estou numa fase muito bonita de mudança, ainda que, inexplicavelmente, intensiva emocional e profissionalmente. Sinto-me feliz com todas as pequenas coisas, com a inspiração e força que recebo do meu Namorado, com a tranquilidade que encontro nos meus dias. Não estou a dizer que a minha vida é perfeita e que os meus dias correm sem percalços, pelo contrário, há dias em que chego a casa a disparatar com tudo, nervosa, preocupada ou desiludida... é nesses dias que tomo consciência do que ainda tenho de percorrer e mudar. São esses dias que mais me têm ensinado.