Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livro de Reservas

Bem vindos! Sou apenas uma Turista cheia de bagagem, em viagem pela Vida, registando Reservas aqui e ali num Hotel chamado mundo.

Livro de Reservas

23.Jun.19

Contemplação

Mi

Há uma serenidade misteriosa nos amanheceres cinzentos e melancólicos. A chuva tímida e confortavelmente persistente que se torna companhia na minha contemplação madrugadora: o frenesim dos pássaros na sua rotina matinal, o silêncio citadino, a tranquilidade. Testemunho um amanhecer despretensioso numa solidão tão acolhedora. Sinto paz. 

A solidão é, inapropriadamente, confortável, porque apenas nos aconchegamos a ela, lentamente, no seu colo de monólogos interiores, protegidos, inalcansáveis. Ouvimos o nosso coração tão pacífico, fazemos planos, afastamos os problemas e ali permanecemos numa bolha genuína onde nos tornamos inacessíveis. Somos outra pessoa, ali, naquela pequena bolha. Qualquer tentativa de nos arrancarem desse pequeno paraíso é um atentado à nossa libertadora solidão que nos aglutina cada vez mais, enciúma-se, torna-se possessiva. Somos da solidão e ninguém sabe. Deixamo-nos ir, sem contrariar o vigor que se esfuma, e assim ficamos. O silêncio confortável diz-nos que a nossa importância tem um prazo e, quanto menos aparecermos, menos a nossa falta será sentida. Até que tudo se vai e ficamos apenas nós. Não há quem nos procure. Quão difícil é a libertação das mãos desta vilã... O nosso resgate assemelha-se a uma guerra interminável a quem tem coragem de entrar nela, de nos puxar, de não se conformar com o nosso silêncio. 

Enquanto isso, observamos, através da nossa bolha, sem percebermos o que se passa lá fora. Continuamos a contemplar os dias, serenamente, num vazio inexplicavelmente aconchegante.

 

deixar um registo de hóspedes:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.