Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livro de Reservas

Bem vindos ao Blog de uma Técnica Superior de Turismo. Dificuldades, Histórias, Curiosidades, Horas de Desespero e de Realização.

Livro de Reservas

28.Jul.18

Confissões #9

Mi

Ultimamente, tenho-me deixado absorver pelo turbilhão de acontecimentos: da família, do trabalho, das amizades. Tenho-me focado tanto no que que é menos positivo que me deparei, novamente, num ciclo obscuro e deprimente.

Há um par de dias conversava com a S., depois de alguns desabafos quando ela me diz: foca-te no que tens de bom. As palavras ecoaram: como é que ainda não tinha chegado lá sozinha? Porque estava tão concentrada em tudo o que se estava a passar, fora do meu controlo, e não em todas as coisas boas que têm acontecido? Como é que algo tão simples me passou ao lado?

Este pensamento remeteu-me a outra conversa que tinha tido com a minha Irmã, poucos dias antes, na qual me inspirou a focar na leveza da vida, a apreciar a ajuda divina nas coisas mais delicadas.

 

Não tenho necessidade de me manter presa a momentos, nem a pessoas, que, lentamente, vão saindo da minha vida. Não tenho de continuar nesta angústia diária, procurando perceber o que é que, afinal, fiz eu de errado? Ser tão dura comigo mesma, diminuir-me ou sentir-me inferior não me traz as pessoas de volta. Aliás, não faz nada por mim.

Não sou mais uma prioridade, mas não importa; já não é nada que possa controlar, portanto, é deixar ir. É focar no que é bom e bonito. Estou sem força para manter o que não está mais vivo; mas também já não importa. Não me foco mais em sentir que não sou suficiente, nos encontros que não acontecem, nas partilhas que ficam pelo caminho. Eu própria, o que sou, é mesmo suficiente para manter o que me faz bem, sem grande esforço.

É hora de ir e voltar a aprender a apreciar as coisas mais simples, tranquilas e bonitas do meu dia: de me sentir revitalizada com a água do banho que corre pelas costas, com a minha gata a lamber-me o nariz ou com um jantar inesperado numa esplanada, depois de um dia tão cansativo.

Tudo tem o seu tempo. E esta, tem sido a maior lição dos últimos meses.

 

 

2 registos de hóspedes

deixar registo de hóspedes nesta Reserva