Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livro de Reservas

Bem vindos! Sou apenas uma Turista cheia de bagagem, em viagem pela Vida, registando Reservas aqui e ali num Hotel chamado mundo.

Livro de Reservas

21.Jun.18

Confissões #6

Mi
Posso partilhar a frustração que eu tenho cada vez que preciso comprar roupa? Não compro por impulso e, daí, pontualmente, precise de subsitutir uma peça por outra. Com o emprego que tenho na recepção do ginásio as calças têm sido o maior desafio, especialmente agora que está calor. Uma vez que não podemos usar leggings ou similares, a minha procura tem-se focado em calças confortáveis e que não façam demasiado calor (detesto usar calças apertadinhas no verão...! - hello (...)
28.Mai.18

Confissões #5

Mi
Sem saber bem como, pessoas vêm e vão. Chegam tão devagarinho e entram na minha Vida para me trazerem harmonia, sorrisos e uma sensação de pertença ao Mundo. Chegam, dão-me a mão e garantem-me que não há nada que as possa tirar da minha Vida. Partilhamos segredos, confissões, memórias. Até que vão embora, do nada. Só porque a Vida, mais uma vez, quis que fosse assim: quis que tudo mudasse, que eu ficasse e que voltasse a praticar o desapego. E começo a pensar que talvez (...)
26.Mai.18

“É preciso sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós.”

Mi
Muitas vezes, tudo o que precisamos é de tempo para nos curarmos; de tempo e de paciência de quem nos rodeia. Curar tudo o que nos foi matando lentamente: começando pelo amor próprio, terminando na toxicidade à nossa volta. Nem sempre nos apercebemos, mas somos, muitas vezes, contagiados por pessoas tóxicas que insistimos em manter - por teimosia, talvez, por apego, por muitas razões que o nosso ego inventa. Sem darmos conta, a nossa sanidade é sugada, a par com a nossa (...)
18.Abr.18

Uma rotina de quatro empregos...

Mi
Na minha agenda continuo a rabiscar as coisas fofas de todos os dias que ainda não tive oportunidade de passar aqui para o Blog. As minhas últimas semanas resumem-se a uma palavra: trabalho; aliás, a duas palavras: quatro empregos. Há um ditado antigo que diz: "não há fome que não dê em fartura", mas o que mais me assusta é se a fartura também não pode dar em fome. Profissionalmente, sinto-me realizada, mesmo sem horários regulares, fins de semana ou dias de descanso: dou aulas (...)