Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livro de Reservas

Bem vindos! Sou apenas uma Turista cheia de bagagem, em viagem pela Vida, registando Reservas aqui e ali num Hotel chamado mundo.

Livro de Reservas

16.Nov.18

Coisas Fofas de 2018 #31, #32, #33, #34 e #35

Mi
Hoje, os sentimentos são agridoces. Sinto uma felicidade que me traz uma grande sensação de culpa: sinto-me feliz pois libertei-me de algumas responsabilidades (que falarei em breve)... a culpa.... não deveria sentir-me tão feliz, tendo o meu avô, neste momento, em estado muito crítico. A vida é uma constante antinomia e, constantemente, lidamos com a bipolaridade dos dias que percorremos. Venho até este refúgio resgatar mais uma mão-cheia de coisas fofas que têm passado, tão (...)
24.Out.18

Coisas fofas de 2018 #26, #27, #28, #29 e #30

Mi
Os últimos dias têm sido de uma azáfama maravilhosa: limpezas na casa nova, início da mudança, tempo com família e amigos, jantar de aniversário organizado pelos meus colegas de trabalho, compras para a casa nova... Dias repletos de ritmos diferentes e tão satisfatórios! Neste caminho tão leve, dou continuidade à sequência de coisas boas que me remetem a momentos tão bons, de há muitas semanas: 1 - Oganizar assuntos pendentes; 2 - Fazermos a reserva do Apartamento! 3 - (...)
02.Out.18

Coisas fofas de 2018 #22, #23, #24 e #25

Mi
A serenidade vem-me encontrando de mansinho, pudesse eu refugiar-me para sempre nessa nuvem de conforto sem preocupações ou pensamentos a mais que teimam em divagar. As últimas semanas têm trazido tanto crescimento, tanta aprendizagem que em cada evolução (quase que) valem a pena as lágrimas derramadas. Como é bom sentir a libertação e o perdão, sentir a Vida tão tranquila, mesmo com pequenas pedritas no caminho. (...)
17.Ago.18

Coisas Fofas de 2018 #18, #19, #20 e #21

Mi
Todas as manhãs acordo com um infinito de emoções e pensamentos, frustrações, talvez. Lamentações interiores que se desvanecem com o correr do dia, mas que voltam sempre, à noite, fazendo companhia durante o sono, até me desdpertarem de novo. Há coisas tão difíceis de perceber e ultrapassar: quando demos tanto do nosso tempo disponível a caprichos de outrém e não passamos, agora, de uma página virada, justificada pelo rumo da vida; quando não sinto que tenho tempo sequer (...)