Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Livro de Reservas

Bem vindos ao Blog de uma Técnica Superior de Turismo. Dificuldades, Histórias, Curiosidades, Horas de Desespero e de Realização.

26
Fev16

O recrutamento no século XXI

Mi

Lembram-se desta entrevista aqui? Pois bem, fui hoje chamada à empresa para saber que me tinham seleccionado (aparentemente, o discurso de falsidade resulta) e fiquei a saber também que as condições mudaram e agora seria para estágio profissional. Esta empresa aqui, dona de si, pretensiosa e com a mania que é boa empregadora é igual a um par de centenas que pululam por aí. E ficam com cara de choque quando temos a coragem de recusar a oferta. Eu sou uma pessoa politicamente correcta, não "bato com a porta" com má educação e, vendo a forma como as pessoa recrutadoras tratam os futuros colaboradores só porque dizem que não aceitam, acredito que muitas coisas têm de mudar. Especialmente aprenderem a lidar com a rejeição...

 

No final do ano passado aconteceu-me uma coisa semelhante com uma multinacional aqui da região. Eu candidatei-me para uma vaga como Assistente de Gerência Hoteleira e, depois de todo o processo de recrutamento, ligam-me a dizer que fui seleccionada para outra vaga, como Recepcionista de Hotel (ok...) Tive a coragem de dizer que não estava interessada e consegui perceber a estupefacção na voz de quem me ligou, do género: Como não?! Como não quer vir trabalhar para um grupo multinacional que paga o salário mínimo aos colaboradores, onde as condições são obscuras e só entra em funções "importantes" se tiver uma cunha?

 

Começa a ser demasiado óbvio o poderio que as entidades empregadoras sentem ao terem meia dúzia de currículos na mão, com ofertas precárias, utilizando o mesmo argumento de sempre: se tu não quiseres, há mais quem queira. E o valor que essa pessoa poderá ter para a empresa? Não se luta por ela, nem um bocadinho? O mundo do trabalho está uma selva, aliás, o Mundo em geral... Ir a entrevistas são oportunidades, sempre. Sobretudo de aprendizagem.  Eu já desconfio de duas coisas muito importantes que considero reflectirem muito dos valores da Empresa:

1 - Quando só falam em dinheiro;

2 - Quando todos os colegas têm de se tratar por Drs. ou Engenheiros;

 

No fundo, ando saturada disto tudo; mas lá tem que ser...

Hoje estou satisfeita por ter sido fiel às minhas próprias aspirações. Sou uma pessoa introvertida, custa-me dizer não, recusar na cara é um desafio... Contudo, rejeitar ofertas neste tempo de "crise" faz-me sentir uma péssima pessoa, sobretudo por parecer estar em contradição e por sentir que decepciono quem está à minha volta.

 

 (Este texto está em Desacordo Ortográfico)

25
Fev16

Desvairos #2

Mi

Quando me sinto feliz, rezo a Deus. Quando me sinto grata, rezo a Deus. Quando me sinto perdida, rezo a Deus. E rezo para pedir mais uma oportunidade, comprometendo-me (com Ele e sobretudo comigo) que desta vez é que será. Mas às vezes não é. Então vou em busca da mais outra oportunidade, tentando convencer-me a mim própria que desta vez é que é. Desta vez que é que arranjo um emprego certinho, desta vez é que não me vou desiludir, desta vez é que vou ser feliz com as minhas escolhas... mas quando dou conta, estou encostada à parede com o medo de dizer não. E, na busca desesperada de encontrar soluções para a desarrumação que vai na minha cabeça, arrumo tudo o resto à minha volta: o bambu na secretária, as meias por cores, os cestinhos para os clips, as molas para os post-its. Contudo, este meu escape começou a deixar de ter efeitos no meu consciente. Já não me chega organizar as coisas, porque continua a faltar-me organizar a minha cabeça e encontrar o meu rumo. Tenho 27 anos, pelo amor de Deus... Já deveria ter a minha vida arrumada? Pensada? É tão fácil, tantas vezes descobrirmos aquilo que não queremos, que saber o que queremos torna-se um exercício difícil. Ou será que é só de mim? Será que sou eu que aplico alguma resistência à descoberta? Estou demasiado confortável no meu mundo de certezas? Sou eu que não sei "brincar aos adultos", assumir sacrifícios e responsabilidades?

Como é que se descobre o rumo? Como é que se decide com confiança? Tantas perguntas que tantas vezes me assaltam em pleno dia ou que não me deixam adormecer à noite...Gostava mesmo de encontrar o meu caminho, ainda que eu saiba que o caminho se faz caminhando... mesmo se andamos à deriva?

Querido Deus, dá-me só mais outra oportunidade... Desta é que vai ser, não vai?

 

 

24
Fev16

Ainda sobre as Entrevistas de Emprego...

Mi

A minha mais recente entrevista resume-se a isto:

- Blá, blá, blá... perguntas do costume... blá, blá, blá... Até que chega a parte em que é apresentada a empresa e as condições propostas:

- O trabalho exige muita responsabilidade, pois terá que se deslocar de repente para o Algarve, por exemplo, para levar os materiais e produtos necessários para os eventos. É capaz disso? Há eventos que decorrem à noite e ao fim de semana, pelo que terá que ter disponibilidade fora do horário normal de trabalho. Outra coisa que é importante referir é que aqui não existem banco de horas. Mas caso precise de um dia para ir ao médico, não lhe marcamos falta. Parece-lhe, ainda assim, uma boa proposta de trabalho?

Respondo eu:

- Claro, são tudo funções inerentes a este cargo, que compreendo perfeitamente (entretanto está o meu cérebro a dizer-me: Mas que m**** é que acabaste de dizer?!)

Contrapõem eles:

- Continua a considerar esta uma boa proposta?

Eu: - Esta função continua a corresponder às minhas expectativas profissionais (volta a dizer-me o meu cérebro: Mas estás pedrada, ou quê?!) (e esta resposta não soa a super falso, ou é só de mim?)!

 

Agora pergunto eu, mesmo depois deste pequeno desabafo, se alguém na mesma situação teria coragem de dizer que "Olhe, não me leve a mal, mas afinal não estou interessada em trabalhar feita escrava, 3 semanas seguidas, sem ter tempo para a minha família, para dormir ou para recuperar a minha sanidade mental. Passem bem".

Será que é só de mim, ou toda a gente mente um bocadinho nas entrevistas?

O mercado de trabalho vai mesmo bem, em Portugal... upa, upa... Vai uma pessoa fazer 80 km para aturar estas coisas...

 

 

(Este texto está em Desacordo Ortográfico)

22
Fev16

Coisas fofas da semana #21

Mi

Quando abro esta caixinha de texto para escrever o meu post semanal preferido, começo a pensar como está cada vez mais difícil eleger coisas fofas da semana... está difícil porque começo a aperceber-me que são tantas, mas tantas pequenas coisinhas fofas que preenchem os meus dias e o meu coração, e que transformam as minhas semanas em páginas eternas no livro das memórias.

Todas as fases na nossa vida nos trazem aprendizagens, e eu tenho aprendido como tenho tudo para ser feliz. Melhor ainda, tenho aprendido a acordar e a sorrir por (e para) mais um dia quer esteja cinzento lá fora, um frio de rachar (que nem me incomoda nada, na verdade) ou um lindo dia de sol. Todos os dias me tenho sentido abençoada pelas pessoas que tenho à minha volta, pelos gestos de amor e de carinho, pelas palavras e pelos sorrisos que me oferecem.

A vida é mesmo o que fazemos dela e durante esta semana que passou, a minha foi feita disto:

 

1 - Ir, pela primeira vez, a uma consulta de nutrição.

2 - Passar tempo com a minha mãe e vê-la sorrir.

3 - Fazer Shoulder Press e sentir-me forte!

4 - Poder ajudar os meus Pais e sentir que isso nos aproxima a todos.

5 - Poder ter tempo para fazer as coisas que mais gosto, por estar desempregada.

6 - Fazer um bolo! (Sim! É verdade! Acabou a minha restrição! :D Em breve publico a receita)

7 - Eu e o meu Namorado sermos também companheiros de Dieta :) (ainda que eu aldrabe a parte de só comer sopa ao jantar...)

 

 

 (Este texto está em Desacordo Ortográfico)

16
Fev16

Idas ao Veterinário

Mi

Hoje foi dia de levar os meus mini-tigres ao veterinário. Qual não foi o meu desapontamento quando entrei no consultório e percebi que o médico já não era o mesmo. Em vez do Doutor Simpático (ainda que alérgico a gatos), estavam dois mamarrachos... Uma e um, mais especificamente. O "Um" só se limitou a escrever o nome dos meus felinos na folha, a "Uma"... não tenho palavras. Super bruta. Com os animais e com as pessoas. Fui eu que tive que segurar num dos meus gatos e ainda ouvi um raspanete, pois o meu gato ia arranhando a Senhora. Eu não sei como segurar num gato em condições e a prova disso é a minha mão direita, pois o meu mini-tigre estava tão extra stressado que mordeu e arranhou o que lhe estava mais próximo. E o Mamarracho número Um? Saiu, simplesmente. Se foi uma experiência "traumática" para mim, imagino os meus bichanos como se sentiram...

Acredito que Medicina ou Enfermagem Veterinária é uma daquelas profissões que alguém escolhe por amor aos animais.

Volte Doutor Simpático, que até o meu gato gostava de si e nunca lhe fez nenhuma cena destas (e ele é muito selectivo)...

Ai, ai...

 

 

15
Fev16

Coisas fofas da semana #20

Mi

Muitas vezes, quando pomos os nossos dias em perspectiva, deparamo-nos como em tantas ocasiões demos importância ao que na verdade não tinha, tivemos um medo injustificado de situações e deixamos correr os dias assim, ao sabor das nossas emoções descontroladas. Sentimos uma pressão desmesurada todos os dias porque consideramos não corresponder aos padrões impostos diariamente pela sociedade: morar sozinha, morar junto, ganhar muito dinheiro, ser empreendedor, ser perfeito, ser sociável... enfim... há uma lista infinita que nos invade a cada clique na internet. Analisarmos as pequenas coisas que transformaram os nossos dias é o melhor remédio para a ansiedade; permite dar valor ao que realmente nos faz sorrir. Porque a vida é esta colecção de pequenas coisas positivas. Tudo o resto, é uma aprendizagem. Esta semana, coleccionei mais umas coisas fofas:

 

1 - O meu Namorado ter uns dias de férias e podermos passar um bocadinho mais de tempo juntos.

2 - Recomeçar a ver a série Dr. House.

3 - Encontrar 15,00€ num estojo.

4 - Estrear um edredão novo, super macio e a cheirar a lavado.

5 - Ter uma irmã mais nova com quem conversar e combinar programas.

6 - Ver evoluções nos meus treinos funcionais.

7 - Miminhos.

 

 

(Este texto está em Desacordo Ortográfico)

11
Fev16

Maleitas cá das minhas...

Mi

Não sou muito de hipocondrices, mas acho que estar desempregada me atribuiu uma anormalidade comportamental qualquer... Deixei de comprar! Simplesmente perdi a vontade de comprar roupa, em especial! As lojas não me dizem nadica de nada... eu lá me obrigo a entrar numa, vejo umas peças tão bonitas e fofas por 2,00€ e mesmo assim, nada... E dizem vocês, benévolos leitores, que o desemprego não dá para "esticanços" financeiros, e com toda a razão. Mas a questão é: eu não me sinto nem tentada. Não estou ali a lutar com o dilema do gastar ou não gastar. Simplesmente não me apetece. E acho que até estou feliz com esta pequena mudança :) Não que eu fosse uma compradora compulsiva, mas a minha resolução de consumir menos está a ser cumprida!

Estar desempregada trouxe-me então dois vícios, agora que penso nisso: comprar menos e enviar uma média de 10 candidaturas espontâneas por dia. Já não vivo sem este último :)

 

 

 

 

 

10
Fev16

Na Cozinha: Se a vida te der Limões, faz um Bolo!

Mi

Ainda estou oficialmente proibida de fazer bolos (por causa disto)... enquanto isso, tenho andado a matar saudades das minhas receitas, vendo as fotos dos meus ricos bolinhos.  Este Bolo de Limão Suculento é uma surpresa no paladar: bom demais para quem adora o sabor do limão e no ponto certo para quem não é tão apreciador deste citrino multifacetado. Juntam-se alguns frutos secos, uma calda de açúcar et voilá! Perfeito para qualquer altura do ano.

Bolo de Limão_logo.jpg

 

 (Este texto está em Desacordo Ortográfico)

08
Fev16

Coisas fofas da semana #19

Mi

Por muito que ver o tempo a passar me deixe um pouco apreensiva e algo angustiada, não há nada melhor que esconder os sentimentos tristes com as coisas mais simples e bonitas que vão acontecendo na minha semana. Todos os dias são uma benção e trazem algo importante e inesquecível. Esta semana que passou, foi assim:

 

1 - Acordar de manhã e ver mensagens fofinhas no meu telemóvel.

2 - A minha mãe dizer que eu sou tão linda a dormir! xD

3 - Sair de casa, aproveitar o solinho e fazer o possível para me sentir feliz comigo própria, respirar fundo e continuar, com paciência, a lidar com todas as situações que me têm condicionado ultimamente.

4 - Fazer uma super arrumação num armário cá de casa. Fiquei orgulhosa! :) (em breve, publico as fotos, pois está relacionado com este desafio)

5 - Conseguir chegar a tempo a uma entrevista depois de alguns imprevistos, mas sentir a força, a amizade e o encorajamento das minhas pessoas mais próximas.

6 - Cozinhar para o meu Namorado.

7 - Domingo = Eu + Ele + Sofá + Filme

 

 

 

07
Fev16

Experiência Curricular: Entrevistas de Trabalho

Mi

Acredito piamente que daqui a um par de anos realizar muitas entrevistas de emprego começa "a contar" para o currículo". E em vez de perguntarem se naquele hiato de tempo estivemos "sem fazer nada", sempre podemos colocar as entrevistas a que fomos. E mais, é preciso limar qualificações para entender a psicologia das entrevistas. Não pela sua complexidade, mas pela sua imprevisibilidade. Ora vejamos:

 

1 - Fazemos 300 km para ir a uma entrevista para sermos insultados pelo entrevistador. Sim, aconteceu-me. Está bem, eu era uma jovem de 21 anos, ingénua, que apostava na roupa mais segura para as entrevistas (calça preta e camisa branca), cabelo apanhado e sem maquilhagem (nunca fui muito boa nisto). O homenzinho mostra-me o espaço todo, quintas, apartamentos e tal... leva-me para a entrevista em si e vem-me dizer que teve entrevistadas que se arranjavam um pouco melhor, para eu ter cuidado com a concorrência. E que o meu nível de alemão era bom, mas que não estava impressionado. Ligou-me uma semana depois, pois eu tinha sido seleccionada. Recusei. Duas vezes.

 

2 - Em Concursos Públicos é a praga dos Testes Psicotécnicos. Não há muito tempo (e foi para uma Empresa particular) aldrabei os testes, pois já estava cansada. Ligaram-me para uma vaga como Recepcionista de Hotel... hello?!

 

3 - É de desconfiar sempre que vamos a uma entrevista e o entrevistador só fala em dinheiro, nos ganhos, na flexibilidade... e eu lá tenho que responder com umas falas que eu já tenho pensadas para o meu trabalho de sonho, só para parecer que afinal estou muito interessada na vaga. Coisas como: "o dinheiro é importante, mas ser realizada profissionalmente é mais satisfatório para mim". Isto é uma verdade que habita no meu coração e deixo-vos com esta dica também, caso precisem de uma resposta feita.

 

4 - Uma vez fui a uma entrevista... Naquela mesma época em que eu era muito ingénua. Respondi a um anúncio para a área de Marketing. Quando dei conta, estava a ser colocada num carro e andei a acompanhar a venda de produtos da Optimus (ainda era esta marca) numa aldeia recôndita. No final do dia, vem o discurso do dinheiro. Acontece que na altura eu ainda não fingia tão bem e disse que estava entusiasmada com a ideia, mas que estava a pensar aceitar outra proposta na minha área (isto é mentira. Mas é a desculpa que mais uso quando sou seleccionada para vagas que afinal me saíram expectativas furadas). E não digam a ninguém, mas dissuadi alguns velhotes a não comprarem nada daquelas porcarias... opá...

 

5 - Não dá para deixar passar, igualmente, a entrevista em que fui colocada na mesma sala com outra pessoa. O senhor apresentou a empresa e as condições, mas que estava tudo ainda muito em aberto. Pagamento a recibos verdes, horário pós-laboral e duração de 6 meses. O sonho de qualquer pessoa!

Depois das apresentações e para poupar tempo (segundo o mesmo senhor, que até era de Recursos Humanos), faz ali a entrevista sem mandar ninguém embora. Só pergunta quem queria ser primeiro e eu, com a minha ultra maturidade, ofereço-me claro (sim, que há coisas que já consigo fazer mesmo que saiam da minha zona de conforto). A outra rapariga lá ouviu a minha entrevista, as minhas "graxices" e as minhas respostas pré-fabricadas do género: "De todos, qual foi o emprego que mais detestou?" "Na verdade, não houve nenhum que eu detestasse. Não considero que tivesse tido uma má experiência em nenhum dos meus empregos anteriores. Considero que todos me proporcionaram experiências interessantes, com pontos positivos e negativos, mas nenhum me marcou negativamente" A sério?! Acham que isto vos soa a sinceridade? Sim? Então é melhor reler isto ou isto.

 

6 - E quando as condições não eram nada do que estamos à espera, mas mesmo assim temos de continuar a fingir que estamos muito interessados em ficar com o lugar... Normalmente, é sempre nestes que sou seleccionada... quando eu vejo um asterisco ou uma bolinha a frente do meu nome, já sei... Normalmente, marcam o meu nome depois de uma pergunta curiosa: "Então, achou interessante a proposta? Aceita estas condições?" Ok... a minha super maturidade ainda não me permitiu dizer um Não redondo na cara do entrevistador... Se eu tenho dificuldade a dizer que Não às minhas pessoas mais próximas (quando me perguntam se eu quero bolachas com Nutella, por exemplo), com que cara é que eu vou dizer ao entrevistador que afinal não estou interessada? Mas o que será que passa na cabeça dos entrevistadores? Supostamente alguém que se candidata não tem intenção de recusar o emprego logo assim, tão de repente, na entrevista, depois de uma pergunta daquelas. As pessoas não sabem que temos de processar? E claro que me limito a dizer que sim, num tom de voz que coloca reticências no fim.

 

7 - E depois ainda vem a fatídica pergunta: "Qual o seu pior defeito?" Muitas vezes sou tentada a responder: "Sou mentirosa nas entrevistas para empregos".

 

 

 

 

 (Este texto está em Desacordo Ortográfico)

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Check-in

Bem-vindos às dificuldades, às histórias, aos testemunhos e às curiosidades, às horas de desespero e de realização de uma Técnica Superior de Turismo que em part-time não passa de uma Turista vagueando pela vida, fazendo reservas aqui e ali num Hotel chamado Mundo.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Seguir também em...

Arquivo de Reservas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D